Rádio - Vade Mecum Espírita Facebook - Vade Mecum Espírita Twitter - Vade Mecum Espírita
Vade Mecum Espírita
Therezinha de Oliveira

Parábolas Que Jesus Contou e valem para sempre - Nota 10

Therezinha de Oliveira

Allan Kardec foi Médico?


31 - Rivail médico?
 
Quem primeiro declarou publicamente que Rivail fez o curso completo de Medicina foi P.-G. Leymarie, seu sucessor na direção da "Revue Spirite", e esta declaração data de vinte anos aproximados após o decesso do mesmo Rivail.
O biógrafo H. Sausse deu mais ênfase ao pronunciamento de Leymarie, em quem se apoiou, chegando a escrever que Rivail era "Doutor em Medicina", grau obtido com brilhante defesa de tese. Nesse ponto, Gabriel Delanne, Léopold Dauvil Charles Richet e outros ilustres estudiosos do Espiritismo na França simplesmente seguiram as pegadas de Sausse.
 
Não obstante os depoimentos acima pairam sérias vidas sobre o assunto em pauta.
Albert L. Caillet, por exemplo, que diz ter pessoalmente pesquisado essa delicada questão, frisa em sua obra "Manuel Bibliographique des Sciences Psychiques ou Occultes", que, embora Rivail tivesse "conhecimentos médicos incontestáveis", ele não se doutorara em Medicina, asserção esta partilhada por outros pesquisadores, inclusive André Moreil, cujo pronunciamento a respeito está assim expresso: "Que o jovem Rivail teve boa cultura humanista e grande desejo de instruir-se, não há dúvida. As "humanidades" bem como as "ciências" o interessavam de igual modo. (...) Mas daí a afirmar que ele estudou medicina e defendeu tese, isso nos parece duvidoso." (Ob. cit., p. 80.).
Como já o esclareceu o artigo - "Kardec teria sido médico?", publicado em “Reformador" de março de 1958 (90), não apareceu, até hoje, nenhum documento que pelo menos prove haver Rivail freqüentado, como aluno ou mesmo como ouvinte, alguma Faculdade de Medicina, não existindo em seus escritos nenhuma nota ou referência que possa dirimir a questão. Jamais, em lugar algum, Rivail-Kardec se disse formado em Medicina, jamais antecedeu ao seu nome o título de Doutor. Apenas lembraria, mais tarde ("Revue Spirite", 1859, p. 145), haver realizado "estudos especiais de Anatomia", acrescentando ter tido a honra de ensinar não só essa matéria, que também ciências físicas e naturais.
Seja como for, uma coisa é certa: ele veio a ser um dos maiores "médicos da alma" no século passado, abrindo novos horizontes à compreensão do complexo mente-corpo e suas
inter-rela
ções no espaço e no tempo. Sabendo que o fator psíquico-emocional participa de todas as enfermidades, pôs ao alcance das criaturas humanas o remédio que efetivamente
cura, pelas vidas sucessivas afora, os males físicos e espirituais.
 
(90) Veja-se transcrição no APÊNDICE deste volume.
Kardec teria sido médico?
 
Henri Sausse, ilustre espírita lionês e que foi secretário da "Fédération Spirite Lyonnaise", realizou, em 31 de mao de 1896, por ocasião das solenidades com que os espiritistas Lioneses comemoravam o 279 aniversário da desencarnação de Kardec, realizou, dizíamos, brilhante conferência sobre a vida e a obra do homenageado, publicando-a, nesse mesmo ano, em brochura, sob o título "Biographie d´ Allan Kardec". Num certo trecho do seu discurso (1), o orador declarou, referindo-se ao Codificador:
"Ele era bacharel em Ciências e Letras, doutor em Medicina, tendo feito todos os estudos médicos e brilhantemente defendido tese."
 
Ou seja, em francês: "Il était bachelier ês leitres et ês sciences, docteur en médecine ayant fait iouies ses études dicales et présenié brillamment sa thêse:"
 
Em 1910, Henri Sausse republicou, em nova e ampliada edição, a sua conferência de 1896.. Talvez porque os leitores lhe houvessem solicitado a indicação das fontes nas quais se baseara para afirmar o que constava no trecho acima mencionado, Sausse, denunciando não haver feito nenhuma pesquisa nesse sentido, explicou, numa nota ao pé da p. 14: "Oes renseignements me furent fournis par M. G. Leymarie en 1896.”.
 
(1)           In "Memória Histórica do Espiritismo", p. 11, editada pela FEB em 1904, em comemoração do centenário natacio de Allan Kardec.
 Ou seja, em português: "Esses dados me foram fornecidos pelo Sr. G. Leymarie, em 1896”.
 
Vamos, então, a Leymarie. A primeira vez que esse ilustre discípulo de Kardec deu notícia, pelo menos escrita, do assunto a que se refere o trecho supratranscrito, foi no Congresso Espírita Internacional de Barcelona, realizado em 1888.
 
A resenha completa, publicada em Madrid, ainda em 1888, sob o título "Primer Congreso Internacional Espiritita", registra o discurso de Leymarie, pronunciado de improviso, e do qual extraímos esse trecho, à p. 124:
 
((A este tiempo, además de sus títulos de Bachiller em Ciencias y en Letras, habia esiudiado la medicina, el magnetismo, y poseia el alemán, el inglés y el italiano.))
 
Um resumo das atividades desse Congresso foi publicado na língua francesa, em Paris, no ano seguinte: 1889. Vê-se, entretanto, que o discurso de Leymarie, ali incluído, recebeu redação diferente em vários trechos, inclusive no citado acima,
que fi
cou assim redigido:
 
((il (Kardec) avait fait son cours complet de droit et de méâecine et avait écouronné par plueieurs académies;",
 
Ou seja, em português: "ele (Kardec) havia feito curso completo de Direito e de Medicina, tendo sido premiado por várias academias."
Esse discurso biográfico de Allan Kardec foi, ipsis »erbis, republicado na Introdução do "Compte Rendu du Oonçrêe Spirite et Spiritualiste International", congresso realizado na
capit
al francesa, em setembro de 1889.
De todos os discípulos diretos de Kardec, foi Leymarie o único que trouxe a público aqueles dados reveladores, sem, contudo, apresentar qualquer comprovação do que dizia. Ele o fez, não sabemos por que razão, somente as o decesso de Kardec e da esposa deste. Alexandre Delanne, E. Muller, Levent, Desliens, Flammarion, Sardou, além de outros íntimos discípulos do Codificador, jamais disseram haver Kardec recebido diploma' de Medicina ou de Direito.
 
E. Muller, por exemplo, no discurso que pronunciou, em 1869, junto ao túmulo de Kardec, assinalou apenas:
 
"O'est qu'il avait touché à iouies les sciences et qu'ayant bien approfondi, il savait transmettre au» auires ce qu'il connaissait lui-même, talent rare et toujours apprécié.))
 
Ou seja, em português: ":É que estivera em contato com todas as ciências, e, porque nelas se aprofundou bastante, sabia transmitir aos outros seus conhecimentos, com raro e sempre apreciado talento."
 
Quanto à questão de Kardec ter-se formado em Direito (conforme escreveu Leymarie), felizmente, ao que sabemos, ninguém mais repetiu tal desacerto, nem mesmo Henri Sausse.
O volume I do "Nouveau Dictionnaire Unioersel", de Maurice Lachâtre, publicado em Paris, e quando Kardec ainda vivia entre nós, como que prevendo todas essas coisas, já declarava peremptoriamente em suas páginas:
 
"çuoique jils et petit-jils d'aoocate, et âiwne ancienne jamille qui s'est distinguée dans la magistrature et le barreau, i1 (Kardec) nJa point suivi cette carriêre; de bonne heure il
s'eet voué
à l'étuâe âes sciences et de la philosophie.
 
Ou seja, em português: "Ainda que filho e neto de advogados, pertencente a uma antiga família que se distinguiu na magistratura e no foro, ele de forma alguma seguiu essa carreira; dedicou-se, desde cedo, ao estudo das ciências e da filosofia"
 
E a Biografia de AlIan Kardec, publicada no n" de maio de Revue Spirite de 1869, reafirmou o que Lachâtre assinalara, conforme este trecho, à p. 130:
 
“Né à Lyon, le 3 octobre 1804J dJune ancienne jamille qui e'est distinguée dans la magistrature et le barreau, M. Allan Kardec n'« point suivi cette carriére ... JJ
 
Negando-se a Kardec a condição de advogado, não se fez, entretanto, o mesmo com a de Doutor em Medicina. Esse título continuou e continua a ser-lhe dado por quase todos os escritores espiritistas, e, confessamos, até este órgão por várias vezes o estampou em suas colunas.
Mas, faz pouco tempo, numa intensa busca que realizamos nas Bibliotecas do Rio de Janeiro, deparou-se-nos uma obra do erudito escritor e engenheiro civil Albert L. Caillet, intitulada : ({Manuel Bib1iographique âes Sciences Psychiques ou Occulies" , a qual, no volume II! (1912), p. 407, registra o seguinte:
 
({Rivail (Hippolyte-Léon-Denizard) dit Allan Kardec (...) baohelier ês-lettres et ês-sciences, on le dit souoent à tort Docteur en Médecine. D'aprês nos recherches personnelles à oe sujet, Allan Kardec bien qu'ayant des connaiesances médicales incontestables, n'a jamais été reçu Docteur en Médecine."
(Grifos do Autor.)
 
Ou seja, em português: "Rivail (Hippolyte Léon Denizard), dito Allan Kardec ( ... ) bacharel em Ciências e Letras, qualificam-no frequentemente, sem razão, de Doutor em Medicina. Segundo as nossas pesquisas pessoais sobre esse assunto, Allan Kardec, embora possuísse conhecimentos médicos incontestáveis, jamais se doutorou em Medicina."
 
Nesse mesmo volume de Caillet acha-se registrada, a pp. 487, a brochura que Henri Sausse publicou em 1896 concernente ao seu discurso biográfico sobre Allan Kardec, já atrás referido.
 
E a respeito dessa brochura, Caillet reproduziu breve comentário contido numa obra bibliográfica de Edmond Peneau, do qual transcreveremos esse trecho que confirma suas palavras supraestampadas:
 
"O'est par erreur que l'on. trouve dans cet ouvrage qu' Allan Kardec était Docteur en Médecine. Bien que fort »ersé dans cette Soience, il n'a néanmoins jamais été ofticiellement reçu
Docteur:"
 
Ou seja, em português: por erro que se encontra nessa obra ter sido Allan Kardec Doutor em Medicina. Se bem que muito versado nesta Ciência, ele, entretanto, oficialmente jamais colou o grau de Doutor."
 
Não há dúvida de que o sábio Codificador do Espiritismo possuía vasto e aprofundado conhecimento de várias matérias, inclusive médicas, mas isso não forma base para se afirmar que ele fora médico, como também não nos é permitido afirmar que ele era astrônomo, apenas porque ensinava Astronomia.
 
Quanto às obras biobibliográficas publicadas quando o próprio Kardec ainda se achava encarnado, todas elas falam de sua vida, do seu trabalho como professor e pedagogo, de seus livros enfim, mas nunca trouxeram qualquer referência, mesmo indireta, que o fizesse diplomado, quer em Direito, quer em Medicina. Além de outras, podemos ainda citar estas obras: "La France Littéraire, ou Dictionnaire Bibliographique)), de J.-M. Quérard, Paris, tomo vm (1836), tomo XII (1859-64); "La Littérature Française Ooniemporaime", de Félix Bourquelot, Paris, tomo VI (1857); "Les Bupercheries Littéraires déooi- es", de J.-M. Quérard, Paris, 2· ed., tomo I (1869); "Dictumnaire Unioersel des Contemporains", de G. Vapereau (ex-aluno da Escola Normal, ex-professor de Filosofia, advogado), Paris, 3· ed. (1865); etc.
Observamos, diante dos fatos aqui relacionados, que se de um lado Leymarie não apresentou nenhum documento que positivasse ter sido AlIan Kardec diplomado em Medicina, do outro lado, Caillet não esclareceu que "pesquisas pessoais" realizou a fim de chegar à sua afirmativa contrária.
É certo que os outros documentos que apresentamos apóiam o pronunciamento de Caillet, mas, com sinceridade, julgamo-los ainda insuficientes.
 
Fonte: Allan Kardec - Meticulosa Pesquisa Biobibliográfica
Voltar
Willian Crooks e Katie King

Willian Crooks e Katie King

Cadastre-se e receba
nossos informativos!

Visão EspíritaVisão Espírita

Ouça todos os Domingos 9h30 às 11h00 com comentários do autor do Vade Mecum Espírita, no site:
www.radiobrasilsbo.com.br

contato@vademecum.com.br | Fone: (19) 3433-8679
2019 - Vade Mecum Espírita | Todos os direitos reservados | desenvolvido por Imagenet